DESENVOLVIMENTO DE BROWNFIELDS

RECUPERAÇÃO DE ÁREAS CONTAMINADAS PARA NOVOS USOS

Reaproveitamento de Áreas para o Setor Imobiliário.


O processo de industrialização no Brasil, intensificado nas décadas de 1940 e 1950, contribuiu para a formação das nossas principais cidades e de nossos centros metropolitanos. No entanto, deixou em seu rastro marcas que se traduziram, muitas vezes, em passivos ambientais urbanos de grave natureza. A disposição inadequada de resíduos ou emissões, o manejo e o armazenamento inadequado de substâncias perigosas, as perdas durante o processo produtivo, o lançamento e a infiltração no solo de efluentes industriais, o vazamento de tanques e de tubulações e o abandono de embalagens contendo produtos químicos ou nocivos, etc., todos eles característicos desse modo de produção, deixaram um perverso legado de extensas áreas potencial ou comprovadamente contaminadas.

Na Região Metropolitana de São Paulo, com o fenômeno da desativação industrial, ocorrido principalmente a partir dos anos 1980, um grande número de imóveis, localizados em regiões centrais e particularmente bem dotadas de infraestrutura, torna-se objeto, agora, de interesse por parte de empreendedores que buscam, através da mudança de uso, reintegrar antigas áreas industriais. A própria dinâmica de urbanização, assim como a política de uso e ocupação do solo dos municípios, torna evidente a necessidade de reutilização desses imóveis como forma de melhor aproveitar a infraestrutura e os equipamentos urbanos já implantados.

A ANGEL participa da Câmara da construção civil da CETESB, como representante da AESAS. A Câmara congrega os principais stakeholders do setor, tais como: CETESB, Secretaria do Verde da PMSP, Caixa Econômica Federal, SINDUSCOM, SECOVI e Instituto de Engenharia.


SOCIAL SHARE: